COM A PALAVRA, O GÊNIO

Os conteúdos expostos nesta página não têm fins lucrativos. Temos como único objetivo manter vivo o legado de Michael Jackson.

sexta-feira, 28 de maio de 2010

MICHAEL JACKSON: UM HOMEM TOCADO PELA ARTE

DEPOIMENTO DE BRETT RATNER SOBRE COMO ACONTECEU A ENTREVISTA

"Faz muitos anos, Michael e eu estivemos de férias na Flórida e em uma manhã, Michael veio a o meu quarto com a sua câmera de vídeo e começou a gravar fazendo perguntas sobre a minha vida e o porquê sonhava em ser diretor. Ele sempre esteve interessado nas pessoas e era curioso sobre suas esperanças e sonhos. Depois de uma hora, perguntei a ele se podia entrevistá-lo sobre sua vida e seus sonhos. Disse que sim e me deixou sua câmera. Peguei uma caneta e um papel paea escrever  algumas perguntas que pensava que podiam ser interessantes. Enquanto eu lia as perguntas no meio da entrevista, percebi que a câmera estava desligada. Então, liguei-a. 
Tenho mais de cem horas nossas por aí, de férias, dançando e compartilhando nossos pensamentos sobre a vida. Este vídeo foi uma conversa muito pessoal entre dois amigos e quis compartilhar para que as pessoas pudessem ver sua humanidade e seu grande coração. A entrevista foi transcrita e publicada com a permissão de Michael na revista Interview há alguns anos. Podem vê-la quando quiserem. Ele estava contente de compartilhá-la e gostava que fosse uma conversa entre dois amigos e não um jornalista espiando sua vida privada. 
Não está à venda e nunca vai estar".


TRANSCRIÇÃO DO VÍDEO

BR: Você teve um mentor ou alguém que te inspirou?

MJ: Sim, eu tive. Berry Gordy, Diana Ross, Thomas Edson, Walt Disney, James Brown , Jackie Wilson...

BR: O que aprendeu com eles?

MJ: Aprendi muito. Como ser um VISIONÁRIO, como ser CRIATIVO, como ser PERSISTENTE, como ser DETERMINADO, e NUNCA DESISTIR, NÃO IMPORTA O QUE ACONTEÇA.

BR: Qual foi o seu primeiro trabalho com a música? E como você conseguiu?

MJ: Meu primeiro trabalho? Provavelmente... Não me recordo, tinha cerca de seis anos de idade. Provavelmente foi no 'Mr. Lucky's ', nos apresentamos lá. É,  'Mr. Lucky's', nossa primeira apresentação.

BR: E como conseguiram esse trabalho?

MJ: Meu pai conseguiu, eu era pequeno. 

BR: Qual foi seu primeiro grande momento? E como aconteceu?

MJ: Meu primeiro grande momento foi quando fechamos com a Motown. Fizemos uma audição em Detroit e Berry Gordy convidou nossos artistas favoritos, aqueles que quando éramos crianças víamos em Indiana: Diana Ross, Smokey Robison e The Miracles. Temptations e Stevie Wonder. Todos estavam lá e fomos juntos para a piscina coberta daqquela enorme mansão com mármores por toda a parte. Onde trabalhamos e todos ficaram loucos.
Ele( Berry Gordy) amou: 'Meninos, vocês estão contratados!'.

BR: Verdade?

MJ: Sim

BR: Você lembra deste dia?

MJ: Me lembro.

BR: Ok. Que elementos do seu traabalho você trabalha todo dia?

MJ: Trabalho todo dia, somente a ideia de criar mundos. É como pegar uma tela, uma tela branca, você sabe, algo limpo. SÓ TEMOS QUE PINTAR, COLORIR, CRIAR MUNDOS. Adoro a ideia. Há pessoas que olham e ficam inspiradas quando veem.

BR: Ok. Quais as qualidades que te ajudaram a ser o que é hoje?

MJ: FÉ, DETERMINAÇÃO E PRÁTICA.

BR: Certo, a prática leva à perfeição. O que teria feito de diferente em sua carreira sabendo o que sabe agora?

MJ: O que faria de diferente? Deixe-me ver...

BR: Sabendo o que sabe agora

MJ: Praticar mais

BR: Praticar mais?

MJ: Pratico muito

BR: Pratica muito, mas quer praticar mais?

MJ: (Faz sinal de positivo com a cabeça).

BR: Ok. Qual a maior lição que você aprendeu?

MJ: Não confiar em todo mundo. Não confie em qualquer um da indústria. Há muitos tubarões, as gravadoras roubam e enganam. Você tem que fazer auditorias e esta é a hora que os artistas enfrentam eles.Porque eles se aproveitam totalmente, esquecem que SÃO OS ARTISTAS QUE FAZEM A GRAVADORA E NÃO A GRAVADORA QUE FAZ O ARTISTA. SEM O TALENTO, A GRAVADORA NÃO SERIA NADA MAIS DO QUE UM MONTE DE MÓVEIS.
E há grandes talentos, aqueles que as pessoas querem ver.

BR: E quais são alguns de seus discos favoritos?

MJ: Meus discos favoritos são 'Cascanueces' de Tchaikovsky, os grandes sucessos de Claude Debussy, 'Clara de Luna' ,  'Arabesque', Prelude to the afternoon of the faun'.
Eu amo Marvin Gaye 'What's going on' , James Brown 'Live of the Apollo' e a trilha sonora de 'Smiles and tears'. Gosto também de Rodgers  e Hammerstein. Amo Holland-Dozier-Holland da Motown, eram gênias.
HÁ TANTOS GRANDES COMPOSITORES...

BR: E outros discos? Discos contemporâneos?

MJ: Grandes discos...  é difícil porque os álbuns de hoje tem uma ou duas faixas boas, o resto é ruim.

BR: Ou o velho estilo, como Marvin Gaye, Sly.

MJ: Sly e The Family Stone, eu amo tudo o que fizeram. 
Stevie Wonder... ele é um gênio.

BR: Que disco?

MJ: Todos... 'Talking book', adoro 'Living for the city', fantástico. Acredito que seja Innervisions. Fantástico. Ouvir essa música me faz dizer a mim mesmo: 'eu faço isso, e eu sei que posso em nível internacional.'

BR: Verdade?

MJ: Verdade. Então veio o Bee Gees nos anos 70. Eles fizeram algo comigo, chorava, chorava quando escutava suas músicas. Eu sabia cada nota de cada instrumento.
(Ambos cantam um trecho da música 'How can you mend a broken heart? ' da banda inglesa )
Eu amo, cara.

BR: Você tinha algum pôster na parede do seu quarto quando era pequeno?

MJ: Sim, Brooke Shields, por toda parte. Minhas irmãs ficavam com ciúmes e arrancavam da parede.

BR: Verdade? Brooke Shields, ok. Quais foram os grandes shows que você já viu?

MJ: James Brown, Jackie Wilson, OS VERDADEIROS ARTISTAS, os verdadeiros que te deixam arrepiado.

BR: James Brown onde você viu?

MJ: Subíamos no palco após o seu show, pois quando acabava havia uma hora para amadores. Assim eu o observava pela lateral do palco, estudava cada passo e movimento.

BR: Na tv?

MJ: Não, no Teatro Apollo.

BR: Uma hora de amador no Apollo e você o viu se apresentar?

MJ: Sim e Jackie Wilson.

BR: E Jackie Wilson?

MJ: A todos eles, Delphonics, Temptations...

BR: Você lembra de algum show? Viu também os Temptations?

MJ: Sim.

BR: Mas, teve algum show que disse: 'Meu Deus!'?

MJ: James Brown, Jackie Wilson. Fizeram-me chorar.

BR: No Apollo?

MJ: Sim, fizeram-me chorar, NUNCA VI NADA PARECIDO. É UM TIPO DE EMOÇÃO, FEBRE, SENTIMENTO. Era como estar em um outro plano espiritual. Eu ficava em transe, eles tinham o público na palma de suas mãos. Simplesmente amava a forma como os controlavam, tinham um tipo de poder. QUANDO CANTAVAM TINHAM LÁGRIMAS CAINDO NO ROSTO, estavam tão envolvidos na música...

BR: Quais são suas canções favoritas?

MJ: MÚSICAS FAVORITAS DE TODOS OS TEMPOS?
Gosto muito de Burt Bacharach, qualquer uma da Motown, OS BEATLES como: 'Eleanor Rigby' e 'Yesterday' , qualquer uma das Supremes... Todo seu material é ótimo.
ACHO QUE OS ANOS 60 TEM ALGUMAS DAS MELHORES MÚSICAS DE TODOS OS TEMPOS, como Peter, Paul and Mary e, você sabe, os The Mamas and the Papas eram maravilhosos. E The Drifters, que fizeram pouco sucesso, mas adoro sua música 'On Broodway' é genial. As mais simples são as melhores.
Eu adoro Alf, tão linda. São tantas... Como filmes, há grandes filmes

BR: Diga algumas coisas que podem ser úteis para alguém que quer entrar no mundo da música.

MJ: CREIA EM VOCÊ MESMO. ESTUDE OS MELHORES E SERÁS O MELHOR. É a ciência, disseca.

BR: Antes você disse: 'NÃO TE RENDAS!'. O que quer dizer?

MJ: NÃO IMPORTA O QUE ACONTEÇA, NÃO IMPORTA SE TODOS ESTÃO CONTRA VOCÊ OU DIZENDO QUE VOCÊ NÃO VAI CONSEGUIR. ACREDITE EM VOCÊ MESMO, NADA MAIS.
MUITOS DOS MAIORES HOMENS QUE DEIXARAM SUA MARCA NO MUNDO FORAM TRATADOS ASSIM: 'Você não vai conseguir, não vai chegar em lugar nenhum'. 
Riram dos irmãos Wright, riram de Thomas Edson, riram de Walt Disney, faziam piadas sobre o Henry Ford, diziam que ele era ignorante, expulsaram Walt Disney da escola... VER O TAMANHO DE SUA INTELIGÊNCIA. ESSES HOMENS TRANSFORMARAM NOSSA CULTURA E COSTUMES, A FORMA DE COMO FAZEMOS AS COISAS.
ACREDITO QUE DEUS PLANTOU SUAS SEMENTES POR MEIO DE PESSOAS NA TERRA E... VOCÊ É UM, EU SOU UM...Trago alegria, escapismo, apreciação...É algo mágico.
Porque sem o entretenimento, como o mundo seria? Entende? Como realmente seria?
O mundo seria totalmente diferente prá mim. Eu amo entretenimento e o que mais gosto são os filmes, o poder e a magia dos filmes. É a melhor e mais expressiva de todas as artes. ACREDITO QUE TOCA MINHA ALMA.
A música e os filmes são os mais expressivos. É quase como a religião, você fica tão envolvido, tão preso... Você entra no cinema e sai uma pessoa diferente. Afeta sua maneira de ser, é poderoso.
É poderoso para mim, é muito forte, eu amo. Eles estão ligados a ela.
Sim, você vive.

BR: A experiência de assistir um filme afeta suas vidas.

MJ: Toda sua vida, pode mudar sua vida.

BR: Me lembro de estar vendo 'Star Wars' no cinema quando tinha sete anos. É uma experiência diferente para Paris e Prince.

MJ: Sim

BR: Ver um filme pronto é uma experiência memorável. A primeira vez que você vê algo, afeta diretamente sua vida. É como ouvir uma canção ou ver pela primeira vez a atuação de um artista. Ir ver James Brown e você chorar é diferente de escutar.

MJ: NÃO CONSIGO DIZER O QUÃO INCRÍVEL ELE FOI. AMO OS GRANDES ENTRETEINERS, OS GRANDES ARTISTAS, OS GRANDES SHOWMANS, OS GRANDES CONTADORES DE HISTÓRIAS. SOMENTE VENDO VOCÊ FICA HIPNOTIZADO.

BR: Sim

MJ: VOCÊ FICA PRESO. EU AMO. O centro das atenções, baby.

BR: Frank sinatra?

MJ: Sim, sim. ESSES HOMENS FORAM GENIAIS. E Sammy Davis, AMO TUDO O QUE ELE FEZ.
É mágico, realmente mágico.


video


Michael e Bret Ratner

video

Nenhum comentário:

Postar um comentário