COM A PALAVRA, O GÊNIO

Os conteúdos expostos nesta página não têm fins lucrativos. Temos como único objetivo manter vivo o legado de Michael Jackson.

segunda-feira, 12 de abril de 2010

OS BEATLES E SUA HISTÓRIA (REVISTA BRAVO)

 OS BEATLES E O MERCHANDISING

"Hoje em dia, todo artista de música pop que se preze, associa seu nome a uma série de produtos. Cada lançamento de disco, cada turnê, é seguida por bricabraquis que vão, desde camisetas e pôsteres, a aparelhos eletrônicos. Os Beatles, mal haviam acabado de lançar seus primeiros compactos, quando seu empresário - Brian Epstein - recrutou membros de sua própria família para produzir casacos e bottons do grupo.
Com o estouro dos Beatles na Inglaterra e nos EUA, o grupo passou a estampar guitarras e baterias de plástico, cinzeiros, cintos, camisetas e tudo mais que coubesse o nome 'The Beatles'.
Epstein, no entanto, FOI INGÊNUO. Ele deixou a administração do merchandising do grupo nas mãos de um advogado de sua empresa, a NEMS( North END MUSIC STORES). Esta, por seu turno, passou os direitos para um empresário chamado Nicky Byrne, que cuidou do merchandising dos Beatles na Inglaterra e nos EUA.
Byrne ficou com 90% dos lucros sobre esses produtos e os Beatles, Epstein e a NEMS tiveram de brigar pelos 10% restantes."

OS BEATLES E OS EMPRESÁRIOS

"O ano de 1967 também marcou duas mudanças na vida dos Beatles. A primeira foi o encontro deles com o Maharishi Mahesh Yogi, guru indiano que pregava a meditação. No ano seguinte o quarteto foi até a Índia conhecer melhor sua filosofia. O encontro foi uma decepção, eles descobriram que Maharishi estava flertando com a irmã da atriz Mia Farrow e queria que os Beatles lhe dessem uma parte dos direitos de suas canções. Ao ver que Lennon havia decidido ir embora, o guru quis saber dele o porquê da decisão, ao que Lennon respondeu: 'Se você fosse realmente cósmico, saberia o porquê'.
Outro acontecimento importante na vida do grupo foi a morte de Brian Epstein por overdose de remédios.
O empresário, é fato, não fazia mais parte do cotidiano do quarteto, principalmente após a decisão dos Beatles de parar de excursionar. Mas, era Epstein quem controlava os negócios e projetos do grupo.
A morte de Epstein acelerou o processo de dissolução dos Beatles, DEU INÍCIO A UMA GUERRA VELADA PELO CONTROLE ARTÍSTICO E FINANCEIRO DO GRUPO.
Os Beatles, a princípio, não acusaram o golpe da morte de Epstein. McCartney deu início ao Projeto Magical Mystery Tour, no qual, o quarteto saiu em turnê ao lado de uma trupe de anões, mágicos e malabaristas. Exibido na televisão inglesa, o projeto foi um fracasso colossal ( e muita gente afirmou que se Epstein ainda estivesse vivo, jamais permitiria um projeto desta qualidade).
No ano seguinte - 1968 - numa das festas que Lennon e McCartney deram nos EUA, McCartney se apaixonou pela fotógrafa Linda Eastman. De volta para a Inglaterra, Lennon despachou a mulher Cynthia para a Grécia e inicia um tórrido relacionamento com Yoko Ono.
Naquela altura, os Beatles já não mais existiam como banda. Eram quatro desconhecidos que se davam ao luxo de executar suas músicas ao lado de acompanhantes de luxo.
O processo de desintegração ficou mais que evidente em 'The Beatles (White Album)', de 1968. Cada um concebia sua própria música e a executava da maneira que achasse conveniente. 
A tensão entre o quarteto aumentou quando Lennon e McCartney brigaram pelo direito de escolher o próximo empresário dos Beatles. Lennon queria Allen Klein, indicado por Mick Jagger e que tinha a fama de ser duro nos negócios - e desonesto.
McCartney, que àquela altura estava prestes a se casar com Linda Eastman, sugeriu que seu sogro, Lee Eastman, comandasse os negócios dos Beatles.
Lennon, Starr e Harrison preferiram Allen Klein, o que desagradou McCartney. Anos mais tarde, Lennon, Starr e Harrison se arrependeriam amargamente de terem conhecido Allen Klein.
Decidido a salvar os Beatles, Paul McCartney sugeriu que o processo de gravação de seu novo disco virasse um filme. O grupo deu início ao álbum que seria conhecido como 'Let It Be' e foi um desastre completo.
Os Beatles estavam desentrosados, a presença de Yoko Ono incomodava McCartney, que passou a implicar com o resto da banda.
'Let It Be' mofou nos arquivos da EMI, até o produtor Phil Spector ser recrutado para transformar horas e horas de gravação em um disco. É um trabalho desigual, mas não se trata de uma tragédia completa. Estão ali algumas das mais importantes canções de Lennon e McCartney.
Enquanto isso, os Beatles retornaram aos estúdios de Abbey Road para um próximo álbum. George Martin, mais uma vez, foi recrutado e exigiu que o quarteto fizesse um disco 'como nos velhos tempos'.
'Abbey Road', o disco, foi também a última vez que os quatro Beatles se reuniram em um estúdio."

"No dia 01 de julho de 1969, Paul McCartney, George Harrison e Ringo Starr se encontraram no Estúdio 2  de Abbey Road para gravar um novo disco dos Beatles ( Lennon havia sofrido um acidente de carro e se uniria ao trio na segunda semana de gravação ).
O clima entre eles não era dos melhores. McCartney estava brigado com Lennon, Harrison e Starr porque ele - Paul - se recusava a aceitar Allen Klein como novo empresário do quarteto. Seu preferido era Lee Eastman, pai de sua mulher Linda.
Os Beatles, QUE JÁ TINHAM PERDIDO O DIREITO DE SUAS CANÇÕES, POIS O SÓCIO DE BRIAN EPSTEIN, EX-EMPRESÁRIO DA BANDA, AS VENDEU PARA UM MAGNATA DO ENTRETENIMENTO,  TAMBÉM DESCOBRIRAM QUE SUA EMPRESA  - A APPLE - ERA UMA MÁQUINA DE GANHAR DINHEIRO."

BRIAN EPSTEIN E O MARKETING

"Brian Epstein apliou seu escritório, que tinha no cast artistas como os cantores Billy J. Krammer, Cilla Black e o grupo Gerry & The Pacemakers. E constantemente dava dicas de como 'estourar' uma banda.
Certa vez, foi procurado por um ex-funcionário - Andrew Oldham Loog, que perguntou para Epstein como lançar uma nova banda. Epstein disse que Oldham teria de transformar seus protegidos em antítese dos Beatles, que eram bons meninos. 
Oldham acatou as sugestões de Epstein e transformou seus protegidos, os Rolling Stones, num bando de moleques malcriados (o bordão 'você deixaria sua filha namorar um Rolling Stone?' ficou famoso) e o primeiro sucesso dos Rolling Stones, 'I Wanna be your man', era de Lennon e McCartney.
Assim, uma 'rivalidade' entre Beatles e Rolling Stones foi levada à imprensa, sendo comum a troca de farpas entre as duas bandas, efeito do marketing criado por Epstein e incorporado, depois, por outras bandas."

COMO TRANSCORREU A GRAVAÇÃO DO ÁLBUM 'LET IT BE'

"O último disco lançado pelos Beatles tem uma história confusa. O projeto, cujo capítulo inicial deveria ser 'Get Back', saiu da cabeça de Paul McCartney. Ele concluiu que os Beatles deveriam voltar a se apresentar ao vivo e, assim, resgatar a velha magia. E, parte das canções a serem apresentadas no palco, teriam que ser inéditas, com somente os Beatles tocando, sem convidados ou trucagens. Enquanto o material era gravado, um documentário seria feito.
Os outros três Beatles não gostaram, já que o 'White Album' acabara de ser lançado. Mesmo assim, eles se reuniram  em janeiro de 1969 para começar a ensaiar.
As tensões só aumentaram e George Harrison, cansado do jeito autoritário de McCartney, chegou a abandonar o grupo. Ele foi convencido a retornar dias depois.
Todo o material foi produzido por Glyn Johns e deveria sair com o título 'Get Back' e até a capa foi preparada.. Mas, no meio disso tudo, o álbum 'Abbey Road' tinha sido gravado e,logo depois, a banda se separou.
Em março de 1970, John Lennon entregou o material a Phil Spector, que deu a 'cara definitiva' ao disco, agora chamado 'Let It Be'. Spector mudou a seleção de faixas, cortou algumas e acrescentou outras. O produtor também tomou algumas decisões que não agradaram a Paul McCartney."

COMO TRANSCORREU A GRAVAÇÃO DE 'ABBEY ROAD'

"Durante as gravações de 'Abbey Road', George Harrison e Ringo Star, cansados da interferência de Paul McCartney. Ambos tinham crescido como instrumentistas e compositores (mais Harrison do que Starr, claro), e não aceitavam ouvir como a música deveria soar.
Por outro lado, havia um desejo por parte dos Beatles de que as sessões transcorressem sem maiores problemas. Por algumas semanas, o quarteto superou as diferenças e se esforçou para lançar algo digno da obra do grupo. Para isso, chamaram o produtor George Martin, que havia sido sumariamente dispensado do projeto 'Get Back'. Martin disse que concordaria em voltar, desde que o trabalho fosse feito 'como antigamente'. Os Beatles concordaram e Martin voltou ao seu antigo posto na mesa de controle.
Segundo Geoff Emerick, técnico de som dos principais discos dos Beatles, as sessões de gravação de 'Abbey Road' ocorreram tranquilamente até a chegada de Lennon e Yoko Ono. Lennon exigiu que fosse colocadas uma cama e um microfone para que Yoko pudesse dar sugestões aos Beatles ( por causa do acidente de carro, ela tinha que ficar imobilizada numa cama).
A partir da entrada do casal em cena, o clima começou a pesar. Harrison reclamou que Yoko estava roubando seus biscoitos e brigou com McCartney porque este gastou horas na mixagem de 'Maxwell's Silver Hanner'. Já Lennon, acusava a falta de uma pegada rock nas composições do disco e ameaçava refazer  todos os baixos e pianos de McCartney.
McCartney também trouxe Linda para as sessões de gravação.
George Harrison, o 'Beatle discreto', o patinho feio que tinha de mendigar para que Lennon e McCartney colocassem suas músicas nos discos dos Beatles, aparece com duas grandes composições: 'Here comes the sun' e 'Something'."

PARCERIA LENNON / McCARTNEY

"Em 'Robber Soul', de 1965, representa a mudança estética na música dos Beatles. Àquela altura, ficou óbvio que a parceria Lennon/McCartney existia apenas na teoria. Na prática, cada um fazia a sua parte e mostrava ao parceiro, para que este fizesse pequenos ajustes".
O álbum 'Revolver', de 1966, trabalho que os Beatles lançaram após a experiência com ácido, marca mudanças significativas na banda. A parceria Lennon/McCartney, que desde o início dos Beatles, já tinha dado mostras de sua fragilidade, termina de vez. Cada um compõe e grava sua própria música e raramente aceitam sugestões do parceiro."

INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES

Brian Epstein foi empresário dos Beatles no período de 1961 a 1967, ano de seu falecimento;
George Martin foi contratado pelo grupo, sob forte influência de Epstein, em 1962 e ficou conhecido como o 'Quinto Beatle' devido à importância que teve no trabalho do grupo.
John Lennon conheceu Yoko Ono em 1966 e casaram-se em 1969, mesmo ano em que Paul McCartney casou-se com Linda Eastman;

FONTE E TEXTOS:

Revista BRAVO! EDIÇÃO ESPECIAL BEATLES ( EDIÇÃO DE OUTUBRO/2009)

Leia mais sobre o assunto:
http://pt.wikipedia.org/wiki/Brian_Epstein

http://pt.wikipedia.org/wiki/George_Martin

http://www.dopropriobolso.com.br/index.php?option=com_content&view=article&id=295:allen-klein-empresario-dos-beatles&catid=56:musica-internacional&Itemid=55

http://whiplash.net/materias/news_916/026844-beatles.html

http://translate.google.com.br/translate?hl=pt-BR&sl=en&u=http://en.wikipedia.org/wiki/Andrew_Loog_Oldham&ei=JRPDS9zrBoP_8AaYzpSKCQ&sa=X&oi=translate&ct=result&resnum=1&ved=0CA4Q7gEwAA&prev=/search%3Fq%3Dandrew%2Bloog%2Boldham%26hl%3Dpt-BR

Nenhum comentário:

Postar um comentário