COM A PALAVRA, O GÊNIO

Os conteúdos expostos nesta página não têm fins lucrativos. Temos como único objetivo manter vivo o legado de Michael Jackson.

sábado, 13 de fevereiro de 2010

A MTV ANTES E DEPOIS DE "THRILLER"

"Thriller" é atualmente o álbum mais vendido da história, com mais de 106 milhões de cópias vendidas no mundo. Nos dois anos que se seguiram ao lançamento - 12/1982 - , o álbum foi a maior sensação da América, influenciando não somente a música, como também a dança, a moda e a televisão.  
"Thriller" chegou à primeira posição entre os mais vendidos dos Estados Unidos no dia 21 de fevereiro de 1983 e permaneceu na posição por 37 semanas no primeiro lugar e mais 43 no top 10, um record. Sete compactos foram lançados e dois conquistaram o primeiro lugar, "Billie Jean" e "Beat It".
"Thriller" FOI TAMBÉM UM MARCO NA LUTA CONTRA A DISCRIMINAÇÃO RACIAL NA INDÚSTRIA FONOGRÁFICA.   Jackson tornou-se O PRIMEIRO ARTISTA NEGRO CUJA MÚSICA ESTAVA NO AR NA MTV com o videoclip de "Billie Jean". A canção "Beat It", que tinha participação do guitarrista Eddie Van Halen, fez rádios de rock, na época orientadas a um público essencialmente branco, TOCAREM A CANÇÃO DE UM NEGRO. E fez rádios de black music tocarem rock. UM FATO INÉDITO ATÉ ENTÃO."

 COMO A MTV TEVE QUE "ENGOLIR" MICHAEL JACKSON
Do início de seu funcionamento em agosto de 1981 até março de 1983 - leia-se até os seus 19 meses ou 1 ano e sete meses de existência - a MTV RARAMENTE COLOCAVA CLIPES DE ARTISTAS NEGROS EM SUA PROGRAMAÇÃO.
O formato da emissora era estritamente rock and roll, segundo disse Bob Pittman o vice-presidente executivo e diretor de operações da Warner American Express Satellite Entertainement Company, a principal força por trás da MTV.
A definição de Pittman para rock, EXCLUÍA A MAIORIA DOS ARTISTAS NEGROS das listas de canções a serem apresentadas pela emissora.
Efetivamente, dos mais de 750 vídeos exibidos na MTV, durante os seus 18 meses de funcionamento, cerca de APENAS 20 traziam artistas negros. Mas, a versão original era COMPLETAMENTE INACEITÁVEL na MTV daquela época.
Quando alguém levava vídeos de artistas negros para seleção, ERAM RAPIDAMENTE REJEITADOS como senso o não rock-and-roll.
Os departamentos de pesquisa e marketing da emissora, TINHAM DECIDIDO, de alguma forma, que a MOLECADA BRANCA dos subúrbios NÃO GOSTAVA DE MÚSICA NEGRA e que, talvez, se sentissem intimidados pelos negros.
Para Bob Pittman, não havia nada de errado com essa noção.
Bob Giraldi, diretor de "Beat It", resumiu da seguinte forma a opinião corrente de muitos críticos da MTV: para ele, a MTV era dirigida por "pessoas racistas"
O artista da Motown, Rick James, cujos vídeos tinham sido RECUSADOS pela emissora, também a acusou de racismo e de ter LEVADO OS NEGROS QUATROCENTOS ANOS PARA TRÁS.
A MTV promovia abertamente o RACISMO BRANCO.
Quando a CBS enviou o vídeo de "Billie Jean" para a MTV, eles RAPIDAMENTE A REJEITARAM. Em contrapartida, a CBS ameaçou retirar todos os seus outros clips de lá, caso não apresentassem "Beat It".
Michael tinha se tornado tão popular, que nem Bob, nem sua emissora, nem o SEGMENTO BRANCO SUBURBANO dos E stados Unidos puderam mais ignorá-lo.
Em meados de março de 1983, finalmente o vídeo da faixa "Billie Jean" foi executado na MTV. Depois executaram "Beat It".
A partir de então, a emissora começou a apresentar mais e mais vídeos com artistas negros e, embora esta empresa AINDA PREFIRA OSTENSIVAMENTE o rock-and-roll DOS BRANCOS, pelo menos ALGUNS NEGROS - NÃO MUITOS - entram no ar BASICAMENTE COMO RESULTADO DA REVOLUÇÃO INAUGURADA POR MICHAEL JACKSON NAQUELES TEMPOS"
Fontes:
Livro "A magia e a loucura" - J. R. Taraborrelli

Nenhum comentário:

Postar um comentário