COM A PALAVRA, O GÊNIO

Os conteúdos expostos nesta página não têm fins lucrativos. Temos como único objetivo manter vivo o legado de Michael Jackson.

sexta-feira, 29 de janeiro de 2010

MICHAEL E PAVAROTTI

Esta revelação foi feita por Nicoletta Mantovani, viúva de Pavarotti e testemunha privilegiada desse encontro histórico, à revista Vanity Fair italiana. Aqui, ela relembra graciosamente a primeira vez que Luciano e Michael se encontraram, em Nova Iorque. Ele descreve a agradável surpresa que foi encontrar um Michael Jackson completamente diferente do que as revistas retratavam. Na época, Michael e Luciano estavam engajados em projetos humanitários que levaram Michael a receber um prêmio na Itália, em 1997.
Conta Nicoletta Mantovani:
"Nós tivemos que ir até a casa de Michael Jackson em Nova York e era a primeira vez que nos encontraríamos com ele. O que eu sabia sobre ele é o que você lê nas revistas: excentricidades, máscaras no rosto, e seu pavor de germes. Eu havia dito a Luciano, que era sempre extrovertido e sociável, que muito provavelmente Michael Jackson não iria gostar de seus fortes apertos de mão, tapinhas nas costas e dos abraços que ele nos dava tão livremente, e eu lhe disse para não ficar desapontado se Jackson se mantivesse à distância, cercado por guarda-costas. "Ele é um cara especial", eu disse.
Michael abriu a porta para nós, vestindo uma camiseta branca e jeans, ele estava sozinho, e imediatamente correu para cumprimentar Luciano. Sentou-se no sofá entre nós dois e começou a falar com o entusiasmo de um menino. Após alguns minutos, Luciano olhou para mim [Nicoletta] por cima de seus óculos, e no seu dialeto nativo, disse [enfaticamente]: 'Mas que monte de besteiras que você me disse!'
Sra Pavarotti, mais uma "testemunha ocular da história", de uma história autêntica, que retrata qual era a "verdadeira face", "verdadeira imagem de Michael", a imagem de um "homem e artista à frente de seu tempo".
Há que se destacar no vídeo em que os gênios se encontram, a NATURALIDADE com que Michael abraça Luciano e também a maneira tranquila de se portar frente ao gênio Pavarotti.
Michael e Pavarotti: dois gênios, dois humanitários.

Nenhum comentário:

Postar um comentário